RacesO longa “Raíces”, do diretor mexicano Benito Alazraki, reabre as sessões do Cineclube Cinelatino, que passa a acontecer na última quarta-feira de cada mês. A sessão inaugural de 2013 acontece em 30 de janeiro, às 19h30, no Cine Boulevard, localizado no Iguassu Boulevard  – Cultura, Gastronomia e Lazer, à Av. das Cataratas, 1.118, com entrada franca. Na primeira sessão de 2013 haverá distribuição do número 57 da Revista Filme Cultura, dedicada ao cinema latino-americano.

A exibição será seguida de debate com o professor do curso de História da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), Alexandre Camera Varella, especialista em História indígena. O debate se centrará nos temas da alteridade e da representação do indígena no discurso cinematográfico.    “Raíces aprofunda o drama indígena e latino-americano do estranhamento e do trauma, propondo fronteiras entre culturas locais oprimidas e o grande poder das elites mestiças e estrangeiras no México”, disse Varella. “As quatro histórias do filme de Alazraki não podem ser percebidas como tramas excêntricas. Os episódios trazem à tona, por meio de excelente fotografia e com genuínos atores improvisados, aquelas forças cruéis da injustiça e do destino. Mas também faz da história uma grande marca da resistência do índio”, avalia o professor.

O diretor Benito Alazraki (1921 – 2007) é ex-toureiro, poeta e escritor. Nascido na Cidade do México,  estudou em Paris, foi locutor de rádio, cursou as carreiras de Direito e Filosofia na Universidade Nacional Autônoma do México. Raíces é dividido em quatro episódios que fazem um contraponto entre a civilização moderna e o ambiente indígena no México. O jovem crítico Glauber Rocha, então com 19 anos, escreveu uma resenha sobre o filme em 1958, onde afirmou que o longa de Alazraki seria o modelo ideal para a construção de um novo cinema latino-americano. Ao promover o choque estético entre duas tendências a princípio antagônicas, o “anti-formalismo seco do neorrealismo italiano” e a “ultra-expressão eisensteiniana”, Raíces, segundo Glauber, indica o caminho para as novas gerações de cineastas latino-americanos.

O Cineclube Cinelatino é um projeto de extensão do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), que conta com a parceria do Iguassu Boulevard  – Cultura, Gastronomia e Lazer. O Cinelatino pretende estreitar a relação da comunidade da tríplice-fronteira, a partir da exibição e debate de produções cinematográficas latino-americanas.

Raíces
Direção e roteiro: Benito Alazraki. México, 1953. Produção: Manuel Barbachano Ponce.
Elenco: Beatriz Flores, Juan de la Cruz, Conchita Montes, Olimpia Alazraki, Doctor González, Juan Hernández, Miguel Ángel Negrón, Antonia Hernández, Mario Herrera, Alicia del Lago, Carlos Robles Gil, Teódulo González. Duração: 113 minutos.

Sinopse
Dividido em quatro episódios, Raíces nos narra o conflito entre o México moderno e  o resistente México índigena. No episódio Las vacas, um jovem casal otomí luta contra a opressão da seca; em Nuestra señora vemos o confronto entre uma antropóloga americana com visão eurocêntrica e os habitantes de uma aldeia indígena que foram o “objeto” de sua tese de doutorado; El tuerto narra a vida de um menino aleijado que sofre com as provocações dos meninos brancos e mestiços e em  La potranca um antropólogo pretende comprar uma jovem indígena como se fosse uma mercadoria.

COORDENADOR E MEDIADOR
Estevão Garcia
Formou-se em Cinema pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Cineasta, pesquisador, crítico de cinema e mestre em Estudos Cinematográficos pela Universidade de Guadalajara, México. Garcia é responsável pela cadeira de História do Cinema Latino-Americano e coordena o projeto de extensão “Cineclube Cinelatino: Imagens da América-Latina a Serem Decifradas”, da Unila.

DEBATEDOR CONVIDADO
Alexandre Camera Varella
Formou-se em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre e Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP), fez investigações sobre representações do índio nos tempos da Conquista, em Lima e na Cidade do México. Atualmente dedica-se ao estudo da América indígena como professor adjunto no curso de História da Unila.

Serviço:

Cineclube Cinelatino
Iguassu Boulevard  – Cultura, Gastronomia e Lazer, Avenida das Cataratas, 1.118, Foz do Iguaçu
Tel.: (45) 3523-4245.
Entrada franca
Horário: 19h30
Periodicidade: toda última quarta-feira do mês.

(Assessoria)

Anúncios