Segundo diferentes pesquisas, há uma diminuição no número de salas cinema em todo o país. As que existem, são principalmente as instaladas em espaços de shopping center.   Com o avanço dos meios tecnológicos, filmes de todos os gêneros podem ser assistidos pela internet ou no aparelho DVD. Assim, participar de uma sessão de cinema coletiva, em espaço público, ao lado de várias outras pessoas, consiste em uma ousadia,uma transgressão, mais que um programa cultural.

Essa é ideia do Cineclube Cinema Aberto, que oferece sessões gratuitas de cinema, a cada início de mês. As exibições acontecem no Teatro Barracão, e após a projeção das películas acontece um bate-papo livre e aberto, sem nenhuma outra pretensão que não seja a troca de impressões, sensações e ideias sobre o filme, o seu contexto e tudo o mais que possa representar o interesse das pessoas.

Neste sábado, acontece mais uma edição do cineclube, com o filme “Pro dia nascer feliz”, documentário nacional, produzido em 2006, pelas mãos do diretor João Jardim. O filme reflete sobre as relações e implicações do processo ensino-aprendizagem na vida de adolescentes e jovens. Trata-se de um amplo e sensível retrato sobre a educação no Brasil, a partir de depoimentos de estudantes, professores e demais profissionais da escola.

“A educação e a escola são temas centrais para o desenvolvimento das pessoas e da sociedade como um todo. Nós, trabalhadores da educação, vamos participar dessa discussão promovida pelo cineclube, esperando contribuir para envolver os diversos segmentos sociais na reflexão e na busca de alternativas para melhorar a escola pública e torná-la mais democrática e participativa, diz Mirian Takahashi, que é pedagoga e diretora da APP/Sindicato.

Após o filme, a mediação do bate-papo será realizada pela professora Silvana de Souza, doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), docente do curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste/Foz).

O documentário “Pro dia nascer feliz” identifica diferentes estágios da oferta da educação, nas várias regiões do Brasil e as agruras provocadas pela desigualdade social brasileira, que promovem exclusão social e cultura, além da violação dos direitos sociais básicos. O filme pode ser definido como um diário de acompanhamento e observação das práticas realizadas no ambiente escolar por estudantes e professores. O  dia-a-dia, as manifestações transversais, reuniões pedagógicas, a subjetividade e os conflitos que deságuam na escola.

O Cineclube Cinema Aberto é realizado através da parceria entre as associações culturais iguaçuenses Casa da América Latina, Associação Guatá e Casa do Teatro. Com atividades mensais, desde o final do ano passado, o cineclube reúne estudantes e professores universitários e do ensino médio de diversas instituições iguaçuenses, jornalistas, artistas, produtores culturais e ativistas sociais.

O projeto oferece a projeção gratuita de filmes que abordam a realidade social e cultural, principalmente, envolvendo os países e dos povos latino-americanos. O encontro propõe a reflexão sobre as obras ou de seus respectivos contextos históricos e sócio-culturais, os realizadores do filmes ou ainda a produção cinematográfica situada abaixo da linha do Equador.

SERVIÇO:
Sessão gratuita de cinema
Documentário “Pro dia nascer feliz”
Quando: sábado, 17 de setembro, às 19 horas
Onde: Teatro Barracão – Praça da Bíblia
Entrada gratuita

Anúncios