Lembrança ou esquecimento? A memória como uma ferramenta para entender a história, os acontecimentos e movimentos que envolvem a marcha humana e os seus indivíduos. Esse será o ponto de reflexão proposto para a próxima sessão do cineclube Cinema Aberto, que será realizada no Teatro Barracão, no próximo sábado, dia 4, às 19 horas.

Para isso, será exibida a película “Uma cidade sem passado”, produção alemã de 1990 dirigida por Michael Verhoeve. A narrativa retrata a investigação de uma estudante em busca da verdade sobre relação dos moradores da provinciana Pfilzing com o nazismo.

A protagonista busca informações sobre o passado da cidade, revisitando arquivos e ouvindo versões dos habitantes sobre o período de ascensão e domínio e Adolf Hitler e o III Reich. A jovem se depara, então, com a dificuldade do obter informações das pessoas envolvidas, que recordam de poucas ocorrências e do prefeito como o “único” nazista conhecido na localidade.

Ao apresentar o tema da memória para o debate, os promotores do cineclube pretendem transportar a discussão para a realidade local, destacando a relevâncias das iniciativas e ações que promovam, preservem e cuidem da história de Foz do Iguaçu e  de sua população.

Como explica o jornalista Alexandre Palmar, um dos responsáveis pelo projeto, a idéia é aproveitar o aniversário da cidade, comemorado em 10 de junho, para refletir sobre o conjunto de fatos, lembranças e reflexões coletivas que se denomina memória.

“Abrimos para a exibição de um filme que não é latino-americano pela profundidade do debate contido nesta obra. Será um momento importante para pensarmos sobre quem somos nós, os iguaçuenses, a nossa realidade e o futuro que queremos compartilhar”, afirma Palmar.

O Cinema Aberto também inclui discussão sobre o tema e a obra, abrangendo a realidade dos povos e países latino-americanos. Mantido pela Casa da América Latina, Associação Guatá e Casa do Teatro, os encontros reúnem estudantes, universitários, professores, produtores culturais, jornalistas, integrantes de movimentos sociais.

O movimento de cineclubes oferece espaços onde as pessoas podem assistir e discutir tanto o cinema como os temas que as obras apresentam, além de difundir a cultura cinematográfica. A grande maioria das iniciativas tem programações de películas que não são projetadas nos chamados roteiros comerciais de exibição.

Os cineclubes são formados pelas pessoas que participam das sessões e, portando, todo o espectador é também um cineclubista, podendo indicar e sugerir os filmes e propor debates sobre a produção audiovisual.

O Cineclube Cinema Aberto dispõe de um blog na internet para a divulgação das atividades e informações sobre os filmes, no endereço www.cineaberto.wordpress.com.

SERVIÇO:
“Uma Cidade Sem Passado” – (Das Schreckliche Mädchen)
Diretor: Michael Verhoeven – Ano: 1990 – Alemanha
Data: 4 de junho (sábado)
Horário: 19 horas
Entrada: Livre
Local: Teatro Barracão (Praça da Bíblia)

(Casa do Teatro)

Anúncios